O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Cuidador - Dicas importantes para pacientes com doença de Alzheimer

A APC FAZ PESQUISA DE MATERIAS DE INTERESSE DE CUIDADORES, MANIFESTADAS ATRAVÉS DE NOSSO BLOG OU SITE E EM REUNIÕES OU SALAS DE AULA. NOSSO SITE É REFERENCIA PARA ESTES CUIDADORES E SUAS DÚVIDAS, SEUS INTERESSES E SUAS DEMANDAS É QUE DÃO A NÓS A DIREÇÃO E AS AÇÕES A SEREM TOMADAS.


Cuidador - Dicas importantes para pacientes com doença de Alzheimer 
 ANDAR SEM PARAR, O QUE É ISSO? Trata-se de um estado de inquietude que faz com que o paciente ande de um lado para outro, sem demonstrar sinais de cansaço.

Fenômeno conhecido por vagância ou perambulação. É uma alteração de comportamento que também pode estar relacionada a quadros infecciosos e desidratação.
A principal preocupação evidentemente está em trabalhar para o reconhecimento das possíveis causas da vagância, além de manter a segurança pessoal/ambiental.

A perambulação pode ocorrer a qualquer momento (dificilmente no início da doença), alguns pacientes, não a apresentam isto porque não existe um padrão de evolução igual para todos eles. O cuidador deve pensar, portanto, em formas de minimizar os riscos e perigos que a perambulação pode oferecer (quedas, fugas).

Familiares próximos, comerciantes, amigos, vizinhos, devem ser comunicados quando o paciente apresentar este fenômeno. Eles devem ser orientados que, caso o paciente seja encontrado vagando pelas ruas, devem aproximar-se calmamente e tranquilizando-o, conduzi-lo para casa.
A dieta que o paciente recebe deve ser equilibrada com uma oferta maior de carboidratos, pois o seu consumo de energia é maior. Esta é um dos fatores que pode explicar a perda de peso.

A desorientação têmporo-espacial (incapacidade para reconhecer dias e noites e o local onde se encontra) também pode explicar a inquietação motora demonstrada pelo paciente. · Infecções, reações adversas a alguns medicamentos, dores, fecalomas (fezes em consistência de pedra), devem ser descartados por um médico. Às vezes a presença de um inseto nas roupas ou qualquer outra sensação de desconforto, pode causar inquietude motora, fazendo o paciente vagar.

Alterações de sono também são responsáveis pela perambulação. Deve-se evitar que o paciente durma durante o dia. Lembrar que idosos tem menor necessidade de sono. Pacientes que apresentam perambulação noturna (caminham à noite), não devem dormir de meias, o risco de escorregar e cair é muito alto.

Mantenha o paciente ocupado durante o dia, atividades e exercícios físicos adaptados as suas limitações (se houverem) devem fazer parte de sua rotina.
Caminhadas, atividades domésticas simples, serão de grande valor, e embora ele (a) muitas vezes não consiga terminar uma atividade, gasta energia e possivelmente terá um sono mais tranqüilo.

Medidas de segurança devem ser adotadas, mesmo para aqueles pacientes que nunca tenham se perdido; ele deve ser observado sutilmente, identificado com uma pulseira, medalha ou até mesmo na parte interna da etiqueta do vestuário com nome, endereço e se possíveis dados médicos.
Todos os riscos devem ser avalizados pelo Cuidador. Assim, portas, janelas, poços, piscinas, escadas, sacadas, devem ser supervisionadas rotineiramente com a finalidade de manter a segurança do paciente que vaga.

Os arredores da casa também devem ser analisados, ruas com tráfego intenso oferecem grande perigo.
Travas colocadas na parte alta ou baixa da porta mantêm a casa segura e dificilmente são percebidas pelo paciente.
Se houver quintal, este deve ser protegido por cercas altas e firmes ao redor.
Vãos abertos em escadas devem ser fechados.

As chaves do carro devem ser guardadas em local seguro, longe do alcance do paciente. Muitos já foram encontrados após horas, perdidos, dirigindo inclusive carros de outras pessoas. · Pense que talvez retirar uma ou outra peça do carro, impedindo com isso que ele funcione, pode ser uma boa solução alternativa.

Caso o paciente saia e se perca, é conveniente iniciar a procura em locais que habitualmente ele freqüentava, familiares a ele. · Lembre-se o paciente não pode sentir-se perseguido pelo Cuidador, observe-o e supervisione suas atividades com sutileza
No site: Alzheimer.org você encontra orientação, dicas, etc. para torná-lo um Cuidador mais atento e com mais eficiência.


Pesquisa: Regina Valeria

Voltar Topo